Doença Arterial Carotídea - Dr. Rodrigo Bono Fukushima

Doenças > Doenças Arteriais

Doença Arterial Carotídea

Divisor Artérias

A Doença Aterosclerótica Carotídea, ou Estenose da Carótida refere-se ao estreitamento e/ou obstrução da carótida.

Essa artéria é a principal responsável por fazer o fluxo de sangue chegar ao cérebro, e uma obstrução nesta via pode causar um acidente vascular cerebral (AVC) ou um ataque isquêmico transitório (AIT).

Imagem Doença Arterial Carotídea
 

Causas

Essa doença é causada por um processo chamado aterosclerose, que é o acúmulo de placas de gordura. As artérias carótidas que ficam obstruídas tornam-se estreitas e rígidas, dificultando a passagem de sangue, oxigênio e nutrientes para o cérebro.

Este processo é decorrente do envelhecimento das artérias, da pressão arterial elevada, do tabagismo, diabetes, colesterol e triglicérides altos, obesidade, sedentarismo, apneia do sono, idade avançada e do histórico familiar.

Sintomas

Muitos pacientes com doença carotídea não apresentam sintomas. Nestes pacientes, o diagnóstico é realizado durante algum exame de rotina ou quando apresentam alguma complicação isquêmica cerebral; como um acidente vascular cerebral ou o ataque isquêmico transitório.

Alguns possíveis sintomas isquêmicos cerebrais são:

  • Dormência ou fraqueza súbita na face
  • Dormência ou fraqueza súbita nos membros superiores ou inferiores (muitas vezes em apenas um lado do corpo)
  • Dificuldade repentina para falar ou compreender
  • Dificuldade para enxergar por um ou ambos os olhos
  • Tontura e/ou falta de equilíbrio súbita
  • Dor de cabeça intensa e repentina.
 

Prevenção

Algumas medidas para prevenir a doença obstrutiva são:

  • Não fumar
  • Pratica regular de exercícios físicos
  • Alimentação balanceada
  • Controle do peso
  • Controle dos níveis de colesterol
  • Controle rigoroso da pressão arterial
  • Controle rigoroso do diabetes
Imagem Doença Arterial Carotídea - Prevenção

Tratamento

O tratamento da doença carotídea irá depender de sua localização, extensão e dos sintomas. Em alguns casos, pode ser feito o acompanhamento clínico, com controle dos fatores de risco e com medicações. Em outras situações, o tratamento cirúrgico se impõe. Este pode ser realizado com técnica aberta ou com técnica endovascular.

O objetivo do tratamento é evitar a progressão da doença e possíveis complicações, como o acidente vascular cerebral (AVC).

Na técnica aberta, chamada de endarterectomia, o acesso é realizado pelo pescoço. O fluxo de sangue é interrompido temporariamente neste segmento da carótida e as placas do interior da carótida são retiradas, com posterior restauração do fluxo.

Na técnica endovascular, o acesso é realizado pela virilha ou pelo braço, por uma única punção. Por este acesso são inseridos cateteres, fio guias, balões e stents; com visualização de todo o procedimento por radioscopia (semelhante ao raio-X). O procedimento é minimamente invasivo, com recuperação mais rápida e com menor tempo de internação.

Imagem Doença Arterial Carotídea - Tratamento
Imagem Doença Arterial Carotídea - Stent
 
×
Olá,
Como podemos ajudá-lo?
error: Conteúdo protegido